quarta-feira, 30 de maio de 2018

Japão pretende aumentar visto de estagiários para 10 anos a partir de abril de 2019

Intenção do governo é combater a falta de mão de obra em cinco áreas
Estagiários estrangeiros no Japão

O governo deve introduzir um novo visto de residente que permitiria aos estagiários estrangeiros trabalhar por até 10 anos no Japão, com o objetivo de combater a falta de mão de obra em cinco áreas, incluindo construção, agricultura e cuidados a idosos, informou o jornal Mainichi nesta quarta-feira (30).

Atualmente, os estagiários podem ficar no Japão por até cinco anos. Os estrangeiros que completarem o programa de estágio ou aqueles que adquirirem um certo nível de habilidade em uma determinada área seriam elegíveis para o novo visto de residência de cinco anos.

O governo pretende introduzir o sistema em abril de 2019 e apresentar uma proposta de revisão da Lei de Controle de Imigração e Reconhecimento de Refugiados, possivelmente durante a sessão extraordinária do Parlamento, no outono.

O plano para introduzir esse visto vem depois que o primeiro-ministro Shinzo Abe instruiu o governo a considerar medidas concretas para expandir a aceitação dos trabalhadores extrangeiros durante uma reunião do conselho na política econômica e fiscal, em fevereiro.

O programa de treinamento técnico de estagiários foi originalmente concebido como uma contribuição para a comunidade internacional, recebendo trabalhadores de nações em desenvolvimento e ensinando-lhes habilidades tecnológicas japonesas.

Atualmente, o sistema existe em 77 campos diferentes, como construção, fabricação de têxteis, agricultura e cuidados a idosos. Organizações nos países envolvidos procuram estagiários e os enviam para o Japão, onde as associações de fiscalização apresentam os locais de trabalho.

O novo visto não estaria disponível apenas para aqueles que concluíram o programa de estágio, mas também para quem passar nos exames de avaliação de habilidades técnicas dados pelos ministérios dos governos envolvidos, com domínio suficiente do idioma japonês para o cotidiano. Além das classificações existentes, o novo status também deve ser aplicado a setores como a construção naval e o turismo.

Os dependentes não poderiam morar com o portador do visto no Japão. No entanto, se a pessoa adquirir uma certificação, como a de um profissional de saúde, por exemplo, durante sua permanência no Japão, ela poderia ter seu status alterado de acordo com a profissão. Isso permitiria que os membros da família viessem ao Japão, além de permitir que o residente permanecesse no Japão por um período mais longo.

De acordo com o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar, até o final de outubro de 2017, dos cerca de 1,27 milhão de trabalhadores estrangeiros no Japão, cerca de 20%, ou 258 mil, eram estagiários técnicos estrangeiros.

Se os estrangeiros puderem trabalhar no Japão sob o novo visto residencial, o governo estima que o número de trabalhadores deve  crescer em dezenas de milhares por ano, porque eles poderiam esperar uma remuneração melhor do que os estagiários técnicos.

No entanto, o próprio programa de estágio tornou-se problemático com escândalos como a retenção de pagamentos. Por causa disso, uma legislação que entrou em vigor em novembro de 2017 estabelece punições por infração aos direitos humanos dos estagiários e reforça o monitoramento de seus empregadores.

Para evitar que os mesmos problemas surjam com o novo visto de trabalho, o governo está considerando capacitar o Departamento de Imigração do Ministério da Justiça para supervisionar os empregadores que contratariam trabalhadores estrangeiros sob o novo visto.
Fonte: Alternativa

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Japão abre inscrições de bolsas de estudo para brasileiros com ajuda mensal de ¥143 mil

Contemplados terão as passagens de ida e volta custeadas pelo governo
Bolsas MEXT

O Ministério da Educação do Japão (MEXT, em inglês) abriu inscrições para alunos brasileiros interessados em receber bolsa de estudos no Japão.

Os contemplados terão as passagens de ida e volta custeadas pelo governo e uma ajuda mensal a partir de ¥143 mil (com alguns acréscimos para estudantes de mestrado e doutorado).

As bolsas são focadas na realização de pesquisa em universidades japonesas, com possibilidade de fazer mestrado ou doutorado, mediante aprovação do projeto de pesquisa apresentado.

Os alunos interessados devem se inscrever até o dia 29 de maio para participar do processo seletivo. Os candidatos deverão fazer uma prova inscrita de inglês e japonês no dia 12 de junho e a avaliação irá considerar a nota mais alta do aluno. Há ainda uma entrevista marcada para o dia 29 de junho.

A segunda fase do processo seletivo, para os aprovados na entrevista, envolve envio de documentos e contato direto com a universidade japonesa que deseja estudar. Os aprovados poderão partir em abril de 2019 para dois anos de estudo ou em outubro de 2019 para um ano e meio de estudos no Japão.

As bolsas do MEXT oferecem curso de japonês nos primeiros seis meses no país, apenas para os alunos que possuam baixo conhecimento do idioma.

Os alunos interessados também devem cumprir alguns requisitos básicos para participar da seleção, como ter idade inferior a 34 anos e não ter nacionalidade japonesa.

Os interessados também devem ter nível superior completo ou formação prevista até junho de 2019. Para quem não domina o idioma japonês, é necessário ter conhecimento avançando da língua inglesa.

Veja mais informações sobre os requisitos e o processo seletivo na página da Embaixada do Japão no Brasil: br.emb-japan.go.jp/itpr_pt/pesquisa.html.
Fonte: Alternativa

quinta-feira, 29 de março de 2018

Visto para quarta geração (yonsei) será liberado a partir de 1º de julho

Visto para quarta geração (yonsei)
Pelos comentários públicos (Opinião Pública) realizados no novo sistema que dá aos trabalhadores japoneses um status de residência que pode ser trabalhado no Japão, 70 dos 130 pareceres coletados no 30º dia do Japão foram divulgados no site da opinião pública. Foi. Não houve alterações em termos como restrição de idade, nascimento familiar, impossibilidade de entrar no país, capacidade de linguagem diária no momento da renovação, etc.

Esse sistema foi adiado para 1º de julho de 2018.
 O início de opinião publica foi realizadas por cerca de um mês a partir de 23 de janeiro, e com base nestas opiniões  que deveria anunciar e implementar a portaria ministerial até o final de março de 2018.


O propósito do sistema é aceitar pessoas da 4ª geração (yonsei) que satisfaçam alguns requisitos, aprofundar sua compreensão e interesse no Japão através de atividades para absorver a cultura japonesa, etc. e desenvolver habilidades que se tornarão uma ponte para fortalecer os laços entre o Japão e a sociedade nipo-americana.

Então, embora houvesse uma tentativa de mudar a questão da restrição de idade, a necessidade de saber o idioma japonês, e a possibilidade de levar a  família, as condições para ter este visto foram  mantidas. Além disso o visto será concedido não com a condição de apenas trabalhar, entrar no Japão com a finalidade apenas de emprego não é permitido.
Emprego no Japão


Na opinião de que aqueles que não têm problemas, tais como a satisfação de certos requisitos, serão capazes de ficar depois do  período de permanência, isso será decidido no futuro, então os imigrantes que entraram no sistema com outro status de residência, se satisfazer ao requisito exigido, poderá solicitar a alteração para o novo status de residência. 

Além disso, a opinião de 58º "Há poucos presentes de partidários do Nikkei-IV", dependendo da opinião, "O começo da concessão do visto 1 de julho", Preparação para os fiadores dos solicitantes até a data de 1 de julho será respondido.

Apoiar as atividades dos descendentes de japonês de quarta geração no Japão "Os garantidores da Quarta Geração" podem ser organizações pessoais ou sem fins lucrativos, parentes, convites de outras famílias, empresas e assim por diante. Empresas de pessoal temporário serão impossíveis por causa de voluntários. Os garantidores também tem que informar e  cuidar para que os novos beneficiários (yonsei) respeitem as regras do novo sistema adequadamente.
Fonte: Nikkey Shimbun

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Prazo para regularizar ou transferir título de eleitor termina em 9 de maio

Brasileiros no Japão que desejam votar para presidente da República devem fazer a regularização nos consulados
Brasileiros no Japão

Os brasileiros que residem no Japão e que pretendem votar na eleição para presidente do Brasil têm até o dia 9 de maio para transferir o domicílio eleitoral. A informação foi publicada no site do Tribunal Superior eleitoral (TSE). O pleito será no dia 7 de outubro, como primeiro turno, e dia 28 de outubro, havendo a necessidade do segundo turno.

No site do Consulado do Brasil em Nagoia (Aichi) consta que a transferência de título só será possível se forem satisfeitas estas exigências: ter transcorrido pelo menos um ano do alistamento ou da última transferência requerida; residir há, no mínimo, três meses no novo domicílio.

Segundo o site do Consulado de Nagoia, a única forma de o eleitor inscrito no Brasil regularizar seu título de eleitor no exterior é através da transferência de domicílio eleitoral, que é a alteração do endereço do eleitor do Brasil para o Japão.

Pode solicitar a transferência a pessoa que mudou do Brasil ou do exterior para o Japão, mas continua com seu título registrado em seção eleitoral do Brasil ou do exterior.

O pedido de transferência deve ser feito no consulado responsável pela jurisdição onde mora, em Nagoia, Hamamatsu (Shizuoka) ou Tóquio.

O eleitor que tem três ausências consecutivas não justificadas e não quitou as multas perante a justiça eleitoral terá seu título cancelado e, após seis anos, será excluído do cadastro eleitoral, lembrando que cada turno é considerado uma eleição.

Os brasileiros que residem no exterior votam apenas para presidente, enquanto que no Brasil a eleição será também para governador, senador, deputado federal, estadual ou distrital.

Mais informações nos links abaixo:
- Consulado de Nagoia
- Consulado de Hamamatsu
- Consulado de Tóquio
Fonte: Alternativa

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Serviço Consular Itinerante em Londrina-PR

O Consulado Geral do Japão em Curitiba realizará o serviço consular em Londrina-PR
Serviço Consular Itinerante em Londrina

Data: 17/02/2018 (sábado)
Horário: de 9:00 a 12:00 ~ de 13:30 a 17:00
Local: Aliança Cultural Brasil - Japão do Paraná
Rua Paranaguá, 1782 – Londrina/PR
Tel.: (43) 3324-6418

Principais serviços:
- Solicitação de emissão de passaporte japonês (e retirada dos solicitados até o dia 07/02/2018)
- Solicitação de certidão consular (e retirada das solicitadas até o dia 07/02/2018)
- Atualização do Registro Civil japonês (Koseki Tohon)
- Orientações relacionadas a assuntos consulares
- Cadastramento de eleitor japonês

Informações:
Consulado Geral do Japão em Curitiba
Setor consular
Tel.: 41 3322-4919
E-mail: setorconsular@c1.mofa.go.jp

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Comunicado aos japoneses e descendentes residentes em Jaboticabal, Taquaritinga e Monte Alto

O Consulado Geral do Japão realizará o serviço de atendimento itinerante em Jaboticabal, Taquaritinga e Monte Alto.

※Atendimento gratuito e bilíngue (japonês/português).

A finalidade do atendimento é a atualização do Registro Civil Japonês (Koseki Tohon) como comunicação de casamento, óbito, etc.

Data Local Horário
31/01
(qua)
Associação Nipo Brasileira de Jaboticabal
Via de Acesso Nisoji Fuzisaki, s/nº
9h às 17h
01/02
(qui)
Associação Japonesa de Taquaritinga (Kaikan)
Rua Miguel Pagliuso, s/nº - Jd Contenda
9h às 17h
02/02
(sex)
Associação Nipo-Brasileira de Monte Alto de Recreação e Esporte
Rodovia SP 323, Km 13 - Monte Alto à Taquaritinga
9h às 13h

Para mais informações, favor entrar em contato com o Consulado Geral do Japão em São Paulo no Setor de Registros.
Tel.: 11 3254-0100
e-mail: cgjcertidao2@sp.mofa.go.jp

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Feriados de dezembro de 2017 e janeiro de 2018 do Consulado do Japão em São Paulo

Feriados do Consulado do Japão

Consulado Geral do Japão em São Paulo informa que não haverá expediente nas seguintes datas:

25/12/2017 (segunda-feira): Natal

01/01/2018 (segunda-feira): Ano Novo
02/01/2018 (terça-feira): Feriado de Começo de Ano
25/01/2018 (quinta-feira): Aniversário da cidade de São Paulo

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Programa de Convite ao Japão para os Descendentes de Japoneses da América Latina e do Caribe

Convite ao Japão para os Descendentes de Japoneses
O governo japonês oferece, por meio do Consulado Geral do Japão em São Paulo, o programa de visita ao Japão para descendentes de japoneses com o objetivo de aumentar a compreensão sobre a atualidade do Japão e as políticas do país.  Os participantes do programa deverão se comprometer em divulgar eficazmente os aspectos da atualidade, assim como a política do país em suas respectivas comunidades e redes sociais após o retorno.

Emprego no Japão

Os interessados residentes na jurisdição do Consulado Geral do Japão em São Paulo (Estados de SP, MT, MS e região do Triângulo Mineiro) devem atender aos requisitos abaixo mencionados e encaminhar os documentos necessários por e-mail, conforme explicitado no item 3 abaixo.

*Residentes em localidades diferentes das acima mencionadas deverão contatar a representação diplomática japonesa responsável pela sua jurisdição. Cada representação diplomática manterá calendário próprio, portanto o período de inscrição e os documentos necessários poderão variar.

1. Requisitos 
  (1) Ser descendente de japoneses;
  (2) Forte vontade em divulgar ativa e continuamente o Japão após o retorno em blogs ou mídias sociais;
  (3) Ter nível de conhecimento de língua inglesa suficiente para discussões e trocas de ideias (todas as atividades oficiais relacionadas ao programa no Japão serão realizadas em inglês);
  (4) Comprometer-se em organizar evento de divulgação do programa e do Japão dentro do prazo de 3 meses, de forma independente, após o retorno ao Brasil. O formato do evento e a sua organização são livres.

2. Documento necessário
Formulário de inscrição para o  “Programa de convite para descendentes de japoneses da América Latina e do Caribe”  preenchido com os dados abaixo especificados (clique aqui):

No formulário, deverão constar as informações abaixo, como:
  (1) Curriculum Vitae
  • Nome, data de nascimento, idade e sexo;
  • Endereço completo com CEP, telefone, celular, e-mail;
  • Empresa ou instituição onde trabalha e cargo atual, se houver;
  • Formação acadêmica, área de especialidade informando os anos de ingresso e de formação;
  • Caso pertença a alguma instituição nipo-brasileira, informar o nome da instituição e cargo, anos de associado ou de voluntariado;
  • Grau de descendência (filho, neto, bisneto de japoneses, etc.);
  • Indicar a província de origem da família japonesa;
  • Experiência de viagem ao Japão e o número de vezes que visitou o país (caso tenha recebido convite do governo japonês, especificar o tipo de convite ou bolsa recebida, finalidade e período de viagem);
  • Especificar o nível de fluência em inglês, espanhol e japonês seguindo os parâmetros abaixo:
          (a) Fluente/nativo;
          (b) Avançado;
          (c) Intermediário;
          (d) Não tem conhecimento da língua.
          Informar caso possua algum certificado de proficiência em algumas das línguas acima;
  • Informar se houve candidatura anterior para esse mesmo programa em edições passadas;
  • Esta é a sexta edição do referido programa. Alguns candidatos foram aprovados após algumas tentativas, portanto encorajamos àqueles que já participaram da seleção a se inscreverem novamente.
  • Uma foto 3 x 4 digitalizada recente colada no formulário de inscrição.
   (2) Texto explicativo curto em português sobre o objetivo de se candidatar ao programa (entre 5 a 10 linhas)

3. Período de Inscrição
16 (quinta-feira) a 23  (quinta-feira) de novembro de 2017.
O formulário de inscrição deverá ser enviado por e-mail ao Consulado Geral do Japão em São Paulo para: cgjpolitica3@sp.mofa.go.jp

4. Processo Seletivo
  (1) Avaliação interna de documentos pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo;
  (2) Comunicação de convocação para a entrevista por e-mail: somente para os selecionados na avaliação documental;
  (3) Entrevista presencial prevista para os dias 28 ou 29 de novembro (data ainda a ser definida) no Consulado Geral do Japão em São Paulo com os candidatos pré-selecionados na avaliação interna.
  Não serão realizadas entrevistas por telefone, videoconferências ou outros meios em hipótese alguma;
  (4) Indicação dos candidatos selecionados pelo Consulado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão (MOFA);
  (5) Escolha final dos candidatos pelo MOFA.
  (6) Divulgação dos candidatos aprovados na página do Consulado Geral do Japão em São Paulo.
  (7) Não serão informados os motivos de desclassificação referente a nenhuma etapa do processo.

5. Detalhes do Programa
  (1) Período de estadia no Japão: 14 a 22 de janeiro de 2018;
  (2) Número total de participantes: 10 pessoas da América Latina e do Caribe (sendo 2 participantes do Consulado Geral do Japão em São Paulo);
  (3) Despesas: o governo japonês arcará com as despesas relacionadas ao programa e suas atividades, como: passagem de ida e volta em classe econômica, hospedagem, refeições, transporte doméstico no Japão e seguro viagem. Despesas decorrentes de visitas extras fora do programa, aquisição de presentes e lembranças, telefonemas particulares, lavanderia, etc. deverão ser arcadas pelo próprio participante.

  (4) Programação principal (sujeita a alterações):
  • Encontro com altas autoridades do governo japonês;
  • Troca de ideias com especialistas em América Latina e do Caribe e outras áreas de atuação;
  • Reuniões com oficiais responsáveis do MOFA;
  • Vivência e experimentação da cultura japonesa;
  • Visita a localidades dentro e fora de Tóquio.
6. Acompanhamento após o retorno
  • O convidado deverá organizar um evento de divulgação do programa e do Japãodentro do prazo de 3 meses, de forma independente, após o retorno ao Brasil. O formato do evento e a sua organização são livres., conforme especificado no item 1 em “Requisitos”.
  • O participante deverá divulgar eficazmente o Japão de variadas formas, inclusive em redes sociais, blogs, imprensa, etc. de forma ativa e continuamente.
  • O participante será convidado a ser membro da Associação Brasileira de Ex-Bolsistas Gaimusho Kenshusei formada por ex-participantes do programa. Esta associação realiza reuniões mensais e é uma entidade independente do Consulado. No entanto, é fortemente recomendada a participação ativa dos participantes no programanessa Associação após o seu retorno do Japão.
Contato:
Inscrições e dúvidas devem ser encaminhadas para:
Consulado Geral do Japão em São Paulo
Tel.: (11) 3254-0100 ramal 522
e-mail: contato@vistojapones.com.br

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Consulado do Japão divulga visto com múltipla entrada para turistas brasileiros

O visto tem duração de três anos, mas o portador pode ficar no país visitado por até 90 dias

Visto com múltipla entrada
O Consulado Geral do Japão em São Paulo divulgou em seu site que está emitindo um tipo de visto com múltiplas entradas para turistas brasileiros que desejam visitar o Japão.

A iniciativa é bilateral e vale tanto para brasileiros que quiserem viajar ao Japão quanto para japoneses interessados em ir ao Brasil.

O visto tem duração de três anos, mas o portador pode ficar no país visitado por até 90 dias, podento entrar novamente quando quiser dentro do prazo.

A medida deve contribuir significativamente para melhorar as condições de concessão de vistos para cidadãos brasileiros e japoneses, impulsionando, dessa forma, o turismo bilateral e reafirmando os laços de amizade dos dois países.

O consulado do Japão também emite visto de turismo com apenas uma entrada ou com duas entradas. As taxas são as seguintes (valores válidos até o dia 31 de março de 2018):
- Visto de uma entrada: R$97,00
- Visto de duas entradas: R$194,00
- Visto de múltiplas entradas: R$194,00

Mais informações podem ser obtidas aqui.
Fonte: Alternativa

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Visto para Yonsei definirá as relações entre o Brasil e o Japão nos próximos 50 anos

Brasil e Japão
No ano que antecede o aniversário de 110 anos da imigração japonesa, um assunto que não quer calar é a liberação do visto para a quarta geração de descendentes de japoneses (Yonseis). Levando em consideração que o Japão passa por uma das maiores crises pós-guerra de falta de mão de obra. O índice de natalidade continua em declínio e uma imensa lacuna está se abrindo com o envelhecimento da população.

A crise econômica no Brasil, a violência, a falta de educação e saúde pública, são agravantes que faz o brasileiro que já viveu no Japão, buscar mais uma vez o país como rota de trabalho. Quem foi embora e perdeu o visto por algum motivo, hoje vive a dificuldade de conseguir o visto de trabalho e ainda lida com o impedimento de trazer os filhos considerados Yonseis, mesmo os que nasceram no Japão e regressaram ao Brasil, quando ainda eram crianças e hoje se encontram com maior de idade.

O visto para yonsei será o tema mais importante que definirá as relações entre o Brasil e o Japão nos próximos 50 anos. Em junho de 1990, o Departamento da Justiça do Japão modificou a Lei de Controle de Imigração, facilitando assim as condições de residência dos nissei e sansei.

Contudo, ainda há um problema a ser resolvido: o visto para yonsei. Mesmo os yonseis que estudaram em escolas japonesas e tiveram uma vida igual a de um japonês enfrentam o problema da possibilidade de perder o visto de residência quando atingem a maioridade.

Autoridades do Ministério das Relações Exteriores do Japão haviam explicado previamente que “caso as gerações de yonsei ou posteriores realizem os procedimentos adequadamente, eles poderão continuar vivendo no Japão”. Porém, segundo as empreiteiras e os próprios yonsei, a situação não é bem assim.

Por exemplo, há casos em que é necessário a aprovação dos pais para a atualização do visto de permanência no Japão. Entretanto, caso haja o afastamento dos pais devido a certas circunstâncias como brigas familiares, prisão ou falecimento do (a) pai (mãe) ou de ambos, há a possibilidade do visto não ser atualizado por causa da ausência da aprovação dos pais. Será que não seria necessária alguma medida para ajudar o problema familiar nessas situações?

Além disso, as gerações nascidas e criadas no Japão acabaram crescendo no país com a mentalidade de um japonês, mesmo com a diferença de nacionalidade. Há casos em que é muito difícil para o “maior de idade” voltar para sua “pátria amada”. Mas será que não era melhor ter alguma forma de ajuda aos yonseis que voltaram para seu país de origem e não estão mais dentro do período de readmissão?

quarta geração

Em relação a esses problemas, a Working Holiday pode ajudar um pouco a situação dos yonseis. O divisor de águas do problema do visto para yonsei foi o “Relatório de Reunião Social de Peritos sobre a Cooperação com a Sociedade Nikkei na América Central e do Sul”, apresentada em 9/mar. O relatório apresenta diretrizes nunca antes discutidas.

Nos próximos 50 anos, os pilares do intercâmbio cultural entre o Japão e o Brasil serão, sem dúvidas, os sansei e yonsei. Se estas gerações criadas no Japão servirem de “ponte”, podemos esperar um intercâmbio cultural nunca antes visto. No próximo ano, em que se comemorará 110 anos de imigração, poderá ser o último projeto de comemoração para as gerações convencionais.

A partir do 120º ano de comemoração, o foco principal poderá se voltar aos “novos nikkei” criados no Japão. Os próximos 10 anos serão importantes como “período de troca”.

Todavia, apenas vagas de empregos em fábricas podem gerar uma repulsa pelo Japão. É necessária a elaboração de novas medidas que impeçam os yonsei acabarem “odiando” o Japão.

Na “Proposta voltada à Construção da Sociedade Ativa dos 100 milhões”, publicada em 10/mar por grupos do Partido Liberal Democrata do Japão, estão escritas propostas bem concretas como as seguintes:

“(1) – Antes do estágio de aceitação dos yonsei no Japão, será estipulada a manutenção de um ambiente de educação da língua e cultura japonesa no país atual.

(2) – Será estabelecido um sistema tal como o ‘novo Working Holiday’ para os yonsei aprenderam a língua e a cultura japonesa. Por exemplo, o aprendizado da língua japonesa por 2 ou 3 anos sem a restrição de horários de trabalho será uma obrigação, e os governos locais ou a própria região deverão fornecer um ambiente favorável.

(3) – Em relação ao status de residência futura dos yonsei, sob o ‘novo Working Holiday’, serão abertas discussões enquanto ocorrerá a confirmação do estado de implementação.”

Analisando estas observações, o que está sendo discutido é uma estada temporária de 2 a 3  anos e não a liberação de vistos especiais, que poderão se tornar vistos permanentes futuramente.
Visto para Yonsei
Fonte: IPC Digital com Nikkey Shinbum